Depressão – Transtorno Afetivo Bipolar

Depressão – Transtorno Afetivo Bipolar elimina o prazer de viver ao ponto do desejo de morrer, causando uma grande tristeza como mostra a imagem acima.

Depressão – Transtorno Afetivo Bipolar elimina o prazer de viver ao ponto do desejo de morrer, causando uma grande tristeza como mostra a imagem acima.

Depressão – Transtorno Afetivo Bipolar

Depressão – Transtorno Afetivo Bipolar e caraterizado entre as ocorrências afetivas de crises depressivas com crises de humores excessivos.

Depressão o próprio nome já diz, depressão é caracterizado pelas ocorrências reincidentes de crises de comportamentos. Com a manifestação do humor deprimido.

O transtorno depressivo bipolar persistente é menos intenso do que a depressão clássica. No entanto, geralmente dura dois anos pra mais.

O indivíduo acometido não tem interesse e nem prazer pelas atividades que realizava antes. Sua energia fica reduzida, reduzindo também o seu envolvimento pelas atividades que entes do ocorrido lhe dava muito prazer de fazer. Há baixa autoestima, vem com a falta de esperança e alterações no peso e ate no apetite.

Transtorno Afetivo Bipolar

Depressão – Transtorno Afetivo Bipolar é caracterizado pela depressão que apresenta uma oscilação entre as ocorrências afetivas de crises depressivas com crises de humor excessivo, uma pessoa que tem uma autoestima inflada tende a ter uma estima altíssima de si mesmo com períodos de humor normal.

Neste tipo de depressão, há excesso de atividades com pressão de fala. A pessoa tem muito menos sono, apresenta certa aceleração nos pensamento. Isso afeta todo o comportamento e como resultado, tem-se uma pessoa com distúrbios de humor extremo, irritável e ate eufórico.

Como o próprio nome já diz, esse tipo de depressão é caracterizada por ocorrências de crises depressivas. Com a manifestação do um humor deprimido. Transtorno depressivo persistente é menos intenso quanto a depressão clássica. No entanto, geralmente dura alguns meses chegando a dois anos ou um pouco mais.

Por conta o indivíduo não tem interesse e nem prazer pelas atividades que realizava antes do ocorrido. Sua energia fica reduzida, geralmente reduzindo também o seu envolvimento pelas atividades. Há baixa autoestima, falta de esperança e alterações no peso ou apetite.

Transtorno Depressivo Maior Ou Depressão Clássica

Depressão – Transtorno Afetivo Bipolar, transtorno depressivo maior ou depressão clássica este tipo de depressão geralmente é caracterizado pelos sinais clássicos como falta de humor ou humor deprimido em excesso, que demonstra tristeza, além de um grande desânimo acompanhado de fortes pensamentos negativos. O indivíduo tem ainda pouco interesse nas atividades que antes desenvolvia, ainda que sejam aquelas que mais lhe dava prazer.

Além destes sintomas mencionados, a pessoa também tem dificuldades para dormir, não se alimenta bem, pois muda seu apetite e com isso vem a perda de peso, além da sensação de não ter utilidade para nada, se sente completamente sem energia. Neste tipo de depressão é muito comum o indivíduo apresentar ideias suicidas, pois sente um desejo enorme de morrer.

Sazonal Transtorno Afetivo

Neste tipo de depressão, há surgimento do transtorno à medida que se aproxima as estações de outono e o inverno. Nesta época há o encurtamento dos dias, e a consequentemente das semanas e com isso a redução à luz do sol.

As pessoas acometidas por este tipo de transtorno apresenta mudanças de humor como consequência das alterações que sofrem nos ritmos de seus corpos. Estas pessoas têm também sensibilidade nos olhos à luz ou a diminuição do funcionamento do neurotransmissor serotonina e também do hormônio melatonina.

E bom que se lembrem que Sazonal pode ser tratado que existe transtorno para o transtorno afetivo sazonal caso você se perceba melancólico, desanimado e para baixo se sentindo muito triste nestas estações do ano outono ou inverno.

Depressão Pós-Parto

Depressão – Transtorno Afetivo Bipolar, depressão pós parto com vivida entre as mulheres mundo materno, este e um tipo de depressão que ocorre entre as mulheres gestantes ou na gestação sendo que pode ocorrer até um ano ou um pouco mais após o nascimento do bebe. Estudos feitos a respeito no Brasil tem levantado que a procedência da depressão pós-parto está entre 12 e 19% das novas mães.

E de saber por poucos, mas a depressão pós-parto pode ocorrer também entre os pais. Por conta de uma preocupação exagerada envolvendo a condição de pai em cuidar e educar o seu filho recém-nascido. Preocupações que se acumula causando preocupação e consequentemente ansiedade quanto a fornecer uma vida confortável ao filho e com relação ao aumento da responsabilidade o pai pode vir também a sofrer dos efeitos de depressão, o apoio à mãe estão entre as causas da depressão.

Neste cenário materno relacionado acima, a principal causa da depressão pós-parto é o grande desequilíbrio de hormônios por conta do término da gravidez. Porem ainda assim, a depressão pós-parto pode ser relacionada também a fatores físicos, e também emocionais, por conta do estilo e da qualidade de vida. Um outro possível fator é o histórico de outros problemas como transtornos mentais a que a mãe possa ter tido.

A depressão pós-parto possui crises depressivas de intensidade variáveis. No entanto, seus efeitos podem ser considerados graves e afetar tanto a mãe e o pai, quanto o seu bebê e sua família.

Dependendo da intensidade, o vínculo entre mãe e bebê (sobretudo o vínculo afetivo), pode ser prejudicado. Em alguns casos pode direcionar a prejuízos no desenvolvimento social, afetivo e cognitivo da criança, podendo gerar também sequelas na infância e adolescência.